Aprenda a identificar o nível de maturidade financeira da sua empresa

Aprenda a identificar o nível de maturidade financeira da sua empresa

Cada empresa possui um nível de maturidade financeira diferente da outra. Saber em qual deles seu negócio se encontra é essencial para passar ao próximo estágio e melhorar sua gestão.

No entanto, muitos administradores ainda têm dificuldades para avaliar o atual estado de sua empresa e também não conhecem os níveis, o que pode dificultar o posicionamento do negócio.

Este post foi formulado para ajudar você a entender o que é maturidade financeira, identificar em que nível sua empresa se encontra e dar algumas dicas de como passar para uma próxima fase. Confira a seguir e boa leitura!

O que é maturidade financeira?

Em termos gerais, a maturidade financeira não está ligada ao tempo de vida de uma empresa, mas sim ao seu faturamento e nível de organização orçamentária. Podemos descrever uma companhia madura como aquela que detém um bom nível de conhecimento acerca de seu departamento financeiro e mantém suas contas sob absoluto controle.

Ela é capaz de entender o funcionamento do mercado e utilizar as informações para o seu benefício, promovendo conquistas externas e internas e melhorando seus processos financeiros. No entanto, essa maturidade não vem apenas com o tempo ou com o número de clientes. É fruto de trabalho, organização do setor financeiro e capacidade de aprendizado nas relações com clientes, com o mercado e demais parceiros.

Quais são os níveis de maturidade financeira?

Nas empresas, existem cinco níveis básicos de maturidade financeira. A seguir, listamos cada um deles. Acompanhe!

Nível 1: desorganização

As empresas que se encontram no primeiro nível vivem em um estado de caos. Não existe organização ou controle de contas a pagar e a receber. A equipe financeira, quando existe, também não sabe precisar os saldos de cada conta ou ter alguma previsibilidade de gastos.

Esse é um nível muito perigoso, pois qualquer eventual problema maior pode levar ao fechamento da empresa por falta de recursos financeiros. Um fato comum nesse nível é a empresa gastar mais do que arrecada. Com isso, muitas vezes, os gestores não visualizam essa informação por conta da desorganização.

Sem um controle, não é possível realizar uma priorização das contas ou, até mesmo, saber o que precisa ser pago ou quem deve para a empresa. Por incrível que pareça, hoje em dia, muitas empresas estão nesse nível.

Como avançar

O principal problema nessa fase é a falta de visão do gestor sobre a importância de organizar as contas da empresa. A saúde financeira de um negócio depende exclusivamente de sua capacidade de receber e de pagar, ou seja, de gerir um orçamento de forma eficiente.

Para que isso aconteça, é preciso organização e comprometimento do gestor e de sua equipe. A disciplina pode se mostrar uma barreira, mas novos hábitos devem ser adquiridos e processos financeiros melhorados, a fim de que sua empresa atinja um nível de maturidade de excelência.

Nível 2: controle pequeno

Nesse nível, as empresas possuem uma pequena organização, geralmente realizando o controle de suas contas a pagar e a receber por meio de sistemas informatizados, o que facilita a gestão.

Já existe também um controle por meio de classificação e priorização dos gastos realizados pela companhia, o que auxilia no planejamento do orçamento em um curto prazo.

A empresa deixa de sofrer tanto com a necessidade de pagamento de custos não planejados e pode ainda compreender melhor quais são os gastos que demandam maior atenção.

Por outro lado, a previsibilidade orçamentária está apenas no início, pois os saldos ainda não estão totalmente cobertos e os lançamentos futuros também não são levantados com precisão.

Como avançar

A fim de avançar para o próximo nível, é preciso garantir que pagamentos e recebimentos ocorrerão da maneira correta e sem atrasos. Caso os saldos apresentados nas contas não batam com o caixa, é porque alguma coisa está ficando para trás.

Nesse momento, também é comum descobrir diversas falhas nos processos financeiros, uma vez que a empresa ainda carece de maturidade. Assim sendo, é por meio da correção dessas falhas que ela poderá passar ao próximo nível.

Nível 3: controle médio

Aqui, a empresa já tem um controle intermediário de suas contas, conciliando os saldos em seus sistemas com o que existe no banco, além de realizar um fechamento periódico do caixa.

O principal problema que ainda acomete a empresa nesse ponto é a falta de dinheiro decorrente da não existência de um planejamento no longo prazo. A equipe percebe a quantidade de dias que consegue operar com um determinado capital, no entanto ainda não prevê a entrada de receitas.

Como avançar

Nesse nível, o principal problema é lidar com a falta de capital de giro. Assim sendo, a resposta para ultrapassar esse obstáculo pode estar na própria gestão financeira da empresa. É preciso entender, da melhor forma possível, os gastos e os custos operacionais da empresa, visando diminuí-los ao máximo e maximizar a rentabilidade de suas atividades.

Um sistema de gestão financeira pode ser a saída para visualizar melhor todas as contas a pagar e entender o fluxo de gastos. Depois, basta trabalhar para otimizar os processos.

Nível 4: controle bom

Esse é considerado um nível avançado, no qual a empresa já não corre tantos perigos em virtude de falta de planejamento financeiro e está quase alcançando um nível de plena maturidade, com processos alinhados.

Nele, a empresa tem controle sobre o capital de giro e todos os demais números gerados no setor financeiro. É o momento em que a área já pode se autogerenciar, permitindo que o gestor gaste seu tempo com outras demandas da empresa, como melhorar a produção, impulsionar vendas e expandir as operações.

Como avançar

Nesse estágio, a empresa já apresenta uma boa maturidade e saiu da zona de perigo. Entretanto, ainda não tem a capacidade de planejar suas ações no longo prazo, o que inviabiliza uma expansão, por exemplo.

Para avançar para o nível 5, é preciso investir em armazenamento e análise de dados, objetivando a criação de uma gestão orçamentária que permita prever as receitas e os custos do negócio no longo prazo. Isso possibilitará ao gestor programar-se de olho no futuro.

Nível 5: controle total

Esse é o estágio mais avançado de maturidade e poucas empresas chegam até aqui. Nesse nível, o negócio tem um controle absoluto de suas contas e traça estratégias para longo prazo.

Ao final de cada ano, é possível realizar um planejamento orçamentário detalhado para o próximo período com base nas informações armazenadas, decorrentes de outros anos.

Saber em que nível de maturidade financeira sua empresa se encontra permite que você possa tomar atitudes que a levem a um novo patamar, melhorando os processos e garantindo que ela atue com uma eficiência potencializada.

Quer receber conteúdos relevantes como este diretamente em sua caixa de e-mail? Assine nossa newsletter e não perca mais nenhuma atualização!

Sem comentários

Cancelar